Search Show Menu
Home Latest News Menu
Blog

"Sabotar o próximo DJ nunca é OK"

Fique esperto!

  • The Secret DJ
  • 6 November 2018
"Sabotar o próximo DJ nunca é OK"

É evidente que nunca é bom sabotar ninguem.

A coisa toda não é sobre você. Ou sobre eles. É sobre a pista de dança.

E ninguém deveria querer fazer nada além do melhor para a pista de dança.

Claro, o problema número um com todos os DJs, em todo lugar, é o ego.

Alguns DJs são tão iludidos que pensam que a noite inteira é completamente sobre eles!

A forma mais triste de sabotagem é o DJ famoso que exige contratualmente que todos os outros DJs toquem baixo até que eles toquem.

Todos nós já vimos isso - algo totalmente patético.

E tem tambem aqueles que acham que tudo tem que parar enquanto eles instalam seus equipos, quando deveriam ter feito isso antes.

Ou tambem os que desconectam quem está tocando... Bom, se você não sabia disso, claramente não teve a oportunidade de ver isso acontecer com você mesmo ainda.

Existem exemplos mais esotéricos. Como o residente da Space que costumava se deliciar em correr para o gerente do club sempre que algum DJ tocava alguma música que ele desaprovava.

Muita sabotagem acontece por pura ignorância, inexperiência ou estupidez.

Como promoters correndo para tirá-lo da cabine por tocar uma a capella que costumava ser considerada um momento de climax durante os anos de acid house, mas que eles simplesmente acham que é um house remix. Sim, ser demitido por tocar uma a capella junto com um beat, função também conhecida como "DJing" ou discotecagem.

Atualmente, a tecnologia forma grande parte do ego e da sabotagem. Eu vi DJs que maliciosamente entregaram um laptop e sincronizaram a configuração, sabendo muito bem que o próximo DJ estava prestes a tocar um formato diferente. Com menos de um minuto pela frente. Em seguida, os próprios lideraram as vaias quando o silêncio inevitável chegou.

Eu vi uma DJ muito famosa tocar um excelente set durante o qual um idiota, na frente dos meus olhos, cambaleou sobre o cabo de energia principal e cortou a eletricidade de todo o evento.

Mais tarde, naquelas zonas hediondas e tóxicas onde estão os "comentários", dúzias de "aspirantes a DJ" amargos reclamavam que as mulheres não deveriam ser permitidas em nenhum lugar perto dos decks. Explicar o que realmente aconteceu não teve impacto algum em sua pequena e odiosa zona de inveja.

Mas você deve aprender a dizer a diferença entre atos deliberados do mal e uma apresentação ruim.

Alguns shows ruins parecem sabotagem, se você é paranóico. Eu estive recentemente numa noite que estava tão ruim, em um club de Ibiza, que parecia que havia uma mão sinistra por trás de tudo aquilo.

Eu toquei na desastrosa segunda Love Parade do Reino Unido, em Newcastle, muitos anos atrás, viajando mais de 1.000 milhas para tocar em uma arena vazia.

Na última hora do meu set o lugar começou a encheu devagar e nos últimos 20 minutos consegui deixar o lugar vibrando.

Então, quando estava chegando ao meu auge, eles ligaram a transmissão de radio, em cima de meu set e grandiosamente anunciaram o próximo DJ para milhões de ouvintes sobre os gritos da platéia que eu havia empolgado.

No entanto, isso não foi sabotagem. Isso foi apenas um show que deu errado.

Como aquela festa na América do Sul, patrocinada pela Durex, onde a arena de 20.000 pessoas tinha cerca de 400 pessoas, basicamente membros de gangues rivais locais.

Eu olhei para cima para ver uma fileira deles se formando para fazer gestos pontudos nos ouvidos deles em relação à música, depois gestos cortantes em suas gargantas: linguagem de sinais universal para “essa música significa que temos que matar você”.

Mais uma vez, um show ruim.

A sabotagem prática e o assassinato de personagens são dois lados da mesma moeda.

Enquanto os atos do mal na vida real são bastante raros, passar todas as horas em vigília on-line e ao telefone e até mesmo em ataques impressos, mentir e manchar são tão comuns agora que podem ser orçamentados para quando se trabalha no negócio.

Eu ouvi de tudo, fui chamado de tudo e acusado de coisas que realmente me fizeram pensar como alguém chegou a pensar nisso.

Esta é a verdadeira questão que temos que enfrentar na era pós-verdade.

Acho que até você ver essas coisas com seus próprios olhos, é melhor cultivar um ceticismo saudável sobre qualquer coisa que alguém diga nessa indústria.

Mas não se desespere: se você não tem inimigos e inimigos na porta, significa que você provavelmente não está fazendo certo, de qualquer forma.

Illustrations: Ellis Van Der Does

Load the next article...
Loading...
Loading...